RJ tem 453 homicídios em abril; 33% a mais que mesmo mês em 2015

 

Uma prévia dos números de assassinatos no Rio Revela que mais de 450 pessoas morreram em abril no estado. O número seria superior até mesmo às estimativas da própria Secretaria de Segurança do Estado.

Os números da prévia do total de assassinatos de abril foram obtidos com exclusividade pelo RJTV. Ao todo, foram 453 homicídios, 33,6% a mais que em abril de 2015, quando foram registrados 339 assassinatos. O limite previsto pela Secretaria de Segurança para abril deste ano era de 439. Nos primeiros quatro meses do ano passado, quase 1,5 mil pessoas foram mortas no Rio de Janeiro. No mesmo período deste ano, o número de homicídios subiu para quase 1,7 mil.

A Secretaria de Segurança não confirmou os números de abril. Segundo a pasta, os dados ainda estão sendo processados.

Maio violento
Os episódios mais recentes diminuem a esperança de que maio seja menos violento que abril. Duas pessoas foram assassinadas no Morro do Juramento nesta quinta-feira.

Nas redes sociais, um morador alertou à comunidade que o local seria invadido. “Não sai de casa, tá. Está invadindo o Juramento neste momento. Tem mais de cinco carros lotados, van lotada, na Pedreira, tentando sair, para dar reforço no Juramento. Então, não fica de bobeira na rua”, disse o morador.

Os primeiros tiros na comunidade foram ouvidos por volta das 19h. Passageiros da Linha 2 do metrô se assustaram. Eles contaram que uma bala atingiu um vagão perto de Vicente de Carvalho. A concessionária Metrô Rio disse, no entanto, que foi uma pedrada.

Muita gente não conseguia sair do Juramento. “Segundo a informação que eles passavam pelo ‘zap’ [aplicativo de celular] pra gente, é que eles não poderiam chegar à igreja por que estava com muito tiro”, contou uma moradora da comunidade.

No meio do tiroteio, três pessoas acabaram baleadas. Um menino de 14 anos levou um tiro no braço e foi operado na UPA de Irajá.

Outra vítima foi Samuel dos Santos, encontrado morto dentro de uma Kombi. Uma garota de 14 anos também não resistiu. Miriam Martins foi baleada no peito. A mãe dela contou que a menina fugiu de casa, em Magé, há 15 dias.

“Saiu de casa, eu fiquei sabendo na quarta-feira que ela tinha saído e tinha ido pro morro do Juramento morar com um rapaz. Também não sei quem é, não conheço. Aí, quando falaram que tinha sido uma jovem baleada de 14 anos, a gente deduziu que era ela. Porque se fosse moradora do morro, já teria sido identificada”, contou a mãe de Miriam, Michele da Conceição Gomes.

A mãe de Miriam contou que estava decidida a ir atrás da filha para convencê-la a voltar para casa quando foi surpreendida pela notícia da morte. “O intuito era esse. Sair cedo do serviço pra ir buscar ela. Só que não deu tempo. Não consegui pegar ela, não deu tempo de buscar ela”, desabafou.

No começo da manhã desta sexta-feira (13), homens da Polícia Militar entraram pelo alto do Juramento, por trilhas na mata.

A PM confirmou a disputa entre traficantes de facções rivais na comunidade e afirmou que vai manter o reforço no patrulhamento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s